Através de Projeto “Plante Uma Árvore”, acadêmicos de Tecnologia em Agronegócio  distribuem kits para produção de mudas de jatobá

Os acadêmicos do 2º e 4º semestre do curso de Tecnologia em Agronegócio da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte desenvolveram o projeto “Plante uma Árvore”, com o objetivo de melhorar a relação das pessoas com o meio ambiente mediante uma ação sustentável de produção de uma muda de espécie florestal e seu plantio em uma área de preservação permanente no entorno da cidade, favorecendo as condições florestais em áreas de preservação ambiental, além de motivar a comunidade acadêmica a plantar árvores, principalmente no perímetro urbano.

Segundo o coordenador do curso de Tecnologia em Agronegócio, prof. Julio Cesar Santin, o projeto consistiu em distribuir um kit para a comunidade acadêmica, contendo uma semente de Jatobá (Hymenaea courbaril), árvore nativa de nossa região, vistosa e muito importante para a fauna, flora, indústria e para os seres humanos, um saquinho plástico específico para produção de mudas de espécies nativas, substrato terroso suficiente para encher o saquinho e uma pequena cartilha, com orientações sobre a importância das árvores para nosso planeta e para os seres humanos, bem como sobre os procedimentos que devem ser adotados para plantar a semente e cultivar a mudinha até estar pronta para plantio em um ambiente definitivo: “Quando você planta uma árvore, está plantando também uma nova esperança”.

O projeto foi realizado durante o mês de setembro, referente à Campanha de Responsabilidade Social da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte, em parceria com a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES).

Para a acadêmica Daiane da Silva Souza, do 4º semestre de Tecnologia em Agronegócio, distribuir os kits foi uma forma de demonstrar a importância de se plantar uma árvore, com o intuito de celebrar a vida: “Quem planta uma árvore está plantando uma vida. As árvores possuem papel de destaque não só pela sombra proporcionada por sua copa, mas também  por ajudar na redução da sensação térmica, diminuição da poluição sonora, serve de barreira contra vento e micro-habitat para fauna. O projeto orientado pelo coordenador do curso Julio César Santin foi realizado com sucesso, agradecemos a todos pela colaboração”.

Ascom/FCSGN